sábado, 16 de maio de 2015

Conto ♥.♥

Boa noite queridos e queridas ^^

hoje é dia e conto aqui no blog .... eee.eee
O conto premiado de hoje é de minha amiga KARIME mais conhecida como Viúva Negra :p

PARA SEMPRE MINHA

Eu a vi. Estava desfilando pela calçada do parque no centro da cidade. Todos frequentavam aquele lugar. Idosos jogavam xadrez com seus amigos de longa data, jovens andavam de bicicleta ou faziam manobras na pista de skate enquanto admiravam as lindas garotas que propositalmente exibiam seus corpos sensuais. Famílias sentavam à sombra de alguma grande árvore para fazerem um piquenique e se esquecerem, nem que fosse por um momento, daquela terrível e cansativa rotina que os condenavam a serem tristemente mortais.
Ela passeava com o seu cachorro entre os arbustos enfeitados de coloridas flores e assim como o peludo se divertia correndo atrás das borboletas, ela esboçava um sorriso encantador naqueles lábios suavemente pintados de vermelho. Os olhos apertavam-se no momento em que o som de seu riso fluía de sua boca emanando por todo aquele bonito jardim.
Nada conseguia ser mais atraente que a brisa balançando a barra de seu vestido azul, o vento brando e fresco dominava aquele corpo firme, porém desajeitado. O cabelo loiro cobriu seu rosto e por um instante, o aroma alucinante de pétalas de rosas juvenis chegou às minhas narinas. Eu sabia que havia vindo dela. O perfume tão delicado, cujo qual entendia a razão de não ser tangível, fez nascer algo dentro de mim. Uma centelha de amor iluminou meu olhar fazendo ver que o que estava diante de mim não era só uma garota, mas um anjo. Podia sentir a maciez de suas asas acariciando meu rosto com toda a sua divindade. Queria que aquele momento nunca tivesse fim. Porém como era de se esperar, acabou no minuto em que desejei que fosse eterno.
O céu entenebrecera e uma chuva iminente dele começou a cair. Todos puseram-se a correr pelo parque feito um bando de baratas desnorteadas, até mesmo o meu imaculado ser. Ela deslizava seus olhos de um lado a outro procurando por seu companheiro canino e como por mágica, o animalzinho estava junto aos meus pés, trêmulo. Buscando proteger-se dos pingos gélidos que arrepiavam seu pelo.
Eu o levei até sua guardiã desesperada e minha recompensa foi vê-la sorrir e pronunciar num tom melodioso um frívolo agradecimento. Senti como se houvesse morrido, ascendesse ao Paraíso e lá fosse recebido por trombetas celestiais e ela, minha personificação do que há de mais puro no mundo. Queria que ela ficasse, mas percebi a ânsia por partir, segurei sua mão puxando-a para perto e o tremor nervoso arrastou-se por seus dedos até mim. Soube que ela não queria ficar, assim como os outros que haviam partido, o meu tão amado anjo recusava aconchegar-se nos braços da chuva. Insisti, todavia ela resistiu impaciente, até desvencilhar-se de minhas mãos e correr como um animal livre na natureza. Senti naquele instante que nunca mais a veria e isto não podia acontecer, pois não mais viveria sem meu anjo a me abençoar.
Segui seus passos e logo a vislumbrei encolhida debaixo de uma árvore segurando seu amiguinho, parecia assustada e com frio. Aproximei-me com cautela, infelizmente consegui assustá-la. Ela começou a acusar-me de perseguição e, por mais que aquilo parecesse real, o que eu realmente buscava era somente ter sua presença junto a mim. Tentei acalmá-la, lhe explicar, ainda que não soubesse o que dizer, certamente daria um jeito, contudo não quis me ouvir e quando tentou distanciar-se mais uma vez, eu a impedi. Segurei seus braços fazendo-a derrubar o cãozinho, que fugiu assustado. Não queria vê-la zangada, mas não soube como convencê-la a não me deixar, ela não podia ir.
Ouvir suas duras palavras adquirirem um tom amedrontado partiu meu coração e, apesar de seus pedidos, não pude soltá-la. O volume de sua voz aumentou e pôs-se a gritar por socorro. Não compreendi o motivo de sua histeria e por que não me deixava falar? Iria dizer-lhe que estava tudo bem e não a machucaria, mas meu anjo não permitia que ao menos uma palavra saísse de minha boca.
Houve um instante em que seus gritos e suas tentativas de fuga começaram a me irritar. Queria poder dizer que se ela se acalmasse tudo ficaria bem, porém não conseguia, por que não queria me ouvir? Sua voz alta e confusa logo não passou de um som abafado na minha cabeça, como quando estamos debaixo d’água e seus movimentos perderam intensidade, como se afundasse em areia movediça. Senti-me a criatura mais forte do mundo, mais divino que o anjo irado diante de mim.
A noite caiu sobre meus olhos e por um momento, eu não passava de uma roupa de carne que vestia um alguém se controle de seus atos. Aquele ser não via a criatura à sua frente como um anjo, mas como um inseto nefando que merecia ser esmagado.
O ser disforme despiu-se de mim e em seguida algo preencheu o vazio amarrotado no qual eu havia me tornado. Um brilho frágil fizera-me olhar para baixo deparando com meu doce anjo caído, estirado na relva molhada. O horror tomou-me de dentro para fora e toda a minha crença fora abalada, pois o meu pequeno milagre estava aos meus pés com um olhar tão gélido quanto às gotas que escorriam por meu semblante. Ajoelhei diante daquela malfadada criatura aconchegando-a em meus braços. Não sentia sua respiração em minha pele, contudo seu corpo ainda estava quente e o que eu achava que era chuva, escorreu por meus dedos.
O sangue dela estava em minhas mãos, ele tingia seus cabelos de vermelho, como se fulgurantes labaredas brotassem e dançassem em seu crânio. O calor também estava em minhas lágrimas culpadas que caíam por sobre a fronte de minha amada dissipando a tom carmim, devolvendo-lhe a sutil palidez de sua cútis, que já não era mais tão sutil assim.
O que eu fiz? Mas será que fui eu? Não pode ser. Não seria capaz de arrancar a graça do mais belo anjo! Não fui eu! Todavia... Será que isto é tão ruim? Ela está aqui, silente em meus braços... Sem acusações ou medo. Posso tocá-la, acariciá-la e ela não vai embora. Eu a tenho junto a mim, sinto-me abençoado, pois tornei-me o guardião deste ser celestial. Ela agora é minha, só minha. Para sempre minha.

MAIS UM CONTO LINDO *-*
TODOS OS CONTOS AQUI DO BLOG, É DO PESSOAL DO FACE E PEÇO-LHES QUE NÃO ROUBEM ESSES CONTOS .... ESPERO QUE VOCES GOSTEM E ATÉ A PRÓXIMA :*

SEMANA QUE VEM NOVIDADES AQUI NO BLOG *-*


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Mulheres Poderosas

Boa noite lindas *-*

Eita quinta-feira amarrada ... mas enfim, tudo deu certo e aqui estou eu novamente fazendo um poste super legal para voces meu queridos leitores....
Terminando o poste de segunda-feira .... sobre mulheres poderosas ^^

Hoje as ultimas lições :p


  • NÃO SE ENTREGUE EM UMA BANDEJA - Mesmo não demonstrando ciúme, isso não significa que você deve ficar impassível e deixar que o seu amado faça o que bem entender na sua frente (ou nas suas costas). Deixe claro que você tem a sua vida - e preserve o seu espaço. Não faça tudo o que ele quer fazer e, de novo, não aceite todos os convites que ele propuser. Lembre-se respeitar-se é a palavra-chave.
  • NÃO CORRA ATRÁS DE HOMEM -  Deixe que eles corram atrás de você! Bem melhor, não é mesmo? Não fique contando as horas para encontrar seu namorado e, a menos que vocês estejam naquele dia especial de pombinhos apaixonados, pare de ligar para ele ou mandar mensagens de hora em hora. Espere que ele venha até você. Se o sujeito que você conheceu na noite anterior não ligou hoje, a menos que ele seja a paixão da sua vida, espere mais alguns dias antes de tomar a iniciativa de ligar para ele. Se ele não ligar, é por que não merecia a sua atenção. :* ;p
  • NÃO SEJA UM CLONE DE SUAS AMIGAS "Saber o que todos sabem é o mesmo que não saber nada". (REMY DE GOURMONT).
  •  APRENDA A SE VESTIR  
  • SAIBA LIDAR COM A FOFOCA - "Toda filosofia consiste nestes três palavras: 'Não me importa'." (MONTESQUIEU).
  • NÃO SEJA SUBMISSA - Olhe-se no espelho: voce se acha especial? Não? Pois saiba que voce é o fruto da união de um óvulo eleito entre centenas de outros com um espermatozoide eleito entre milhões de outros. Se aquele espermatozoide não tivesse fecundado aquele óvulo, não seria você quem estaria olhando para o espelho neste exato momento. Olhe para si mesma e perceba que você é importante demais para se deixar levar pela vida. Assuma o controle! Não se submeta a ordens e comandos o tempo todo. Mostre que tem personalidade e faça valer a sua opinião quando não concordar com algo. Isso não significa que você deve impor a sua opinião, mas não se coloque em posição inferior quando pode e deve conversar de igual para igual. [...] Assuma a sua condição de mulher e o poder intrínseco a essa condição - e desfrute desse poder.
  • NÃO SEJA REFÉM DE SUAS AMIGAS
  • APRENDA A DAR AS CARTAS - "Saber e achar que se sabe são coisas bem diferentes. A ciencia está em saber; já a ignorância reside em achar que se sabe." (HIPÓCRATES).
  • TREINE O AUTOCONHECIMENTO
  • SEJA GENEROSA - Não confunda - SER GENEROSA - com - SER BOAZINHA.
  • PERCA A BATALHA, MAS NÃO A GUERRA
  • CULTIVE HÁBITOS SAUDÁVEIS
  • NÃO TENHA MEDO DE OPINAR...
  • ...E DISCORDE, SE PRECISO - "Não partilho a opinião de ninguém. Tenho a minha." (TURGUENEV).
  •  
  • TROQUE DE CANAL
  • APOSTE NO SILENCIO
  • NÃO TENTE IMITAR UM HOMEM
  • CONHEÇA SEUS PONTOS FRACOS
  • DIALOGUE COM A SOLIDÃO - Muita gente tem verdadeiro panico dessa palavra: solidão. Não gostam nem de pensar na dita-cuja. Pois saiba que a mulher poderosa não tem medo de ficar sozinha - ela consegue fazer da solidão uma aliada. Estar só significa estar consigo mesma. Aproveite esses momentos e dialogue com a solidão. No fundo, ela é sua melhor amiga.
  • SAIBA SAIR DE CENA
  • NÃO SE RENDA AO DESESPERO
  • SAIBA ESPERAR...
  • ...E ACELERAR
  • NÃO SEJA REFÉM DE MODISMOS
  • APOSTE NA CRIATIVIDADE
  • SEJA OBJETIVA
  • NÃO CULTIVE PARANOIAS
  • SAIBA USAR A INTUIÇÃO
  • CAMINHE, MAS VOE ENQUANTO CAMINHA - A mulher poderosa caminha, mas é como se voasse. Não no sentido de andar distraída. Ao contrario, ela está sempre atenta a tudo o que acontece ao seu redor. [...]
  • SEJA INFINITA - Não construa muros, mas sim pontes. As mulheres poderosas são infinitas; não desistem quando encontram uma pedra no meio do caminho. Buscam outras pedras e, com elas, erguem torres, para que possam enxergar além do horizonte. A palavra "impossível" não está no dicionário das mulheres poderosas. 

Nosso poste chegou ao fim e espero que vocês tenham gostado dessas dicas que o livrinho nos dá... Não use essas dicas como ofensa e sim como um ponto de referencia para dar aquele UP que estávamos procurando.... Espero que vocês tenham gostado e até o próximo poste.
:*

 

terça-feira, 12 de maio de 2015

Mulheres poderosas

Boa Tarde lindas *-*

Semana corrida, mas hoje deu tempo de fazer um poste bem legal e bem planejado ...
Poste de hoje: Mulheres Poderosas ou melhor Atitudes de uma Mulher Poderosa .... afinal nós mulheres somos mais poderosas do que pensamos e imaginamos, pena que tem aquelas que deixa o "homem" pisar, o que não pode...

Faz um tempinho que eu comprei um livrinho de auto ajuda por pura curiosidade chamado 52 atitudes de uma mulher poderosa, e tenho que confessar tem muitos pontos nesse livrinho que são importantes e interessantes também .... E hoje quero postar alguns desses pontos e algumas frases também ....


  • SEJA AUTENTICA - Voce é unica. Não há outra igual. Ter isso em mente é o primeiro passo para se tornar uma mulher poderosa. Esqueça as divas do cinema, as capas de revista e até mesmo a sua vizinha. As poderosas não imitam; elas acontecem. Por isso, se voce prefere o zual, não diga que gosta do verde só para agradar. [..]
  • AME A SI MESMA EM PRIMEIRO LUGAR
  • CULTIVE O BOM HUMOR  "O MAIS PERDIDO DE TODOS OS DIAS É AQUELE EM QUE NÃO SE RIU" Chamfort.
  • NÃO ENGULA SAPO (não é fazer "barraco", certo?) - Isso só rende uma bela gastrite ou uma enorme dor de cabeça. Não tente concordar com tudo só para agradar, nem pense em ficar muda ao menos sinal de desrespeito. Bote a boca no trombone e manda os sapos para a lagoa. Quando alguém tentar intimidá-la, respire fundo e:  a) se puder, saia á francesa - o silencio ainda vale ouro;  b) ser for impossivel fugir á situação, seja sincera e diga o que pensa. 
  • NÃO BANQUE A BOAZINHA 
  • INVISTA NO OLHAR
  • PRESTE ATENÇÃO Á POSTURA
  • SAIBA DIZER NÃO
  • CONTROLE O TOM DE VOZ
  • TENHA REPERTÓRIO - ou seja, não seja rotineira, procure sair com amigas, ler um livro, assistir um filme no cinema, ouvir as noticias do rádio ....Seja curiosa com á vida.
  • VALORIZE AS SUAS CONQUISTAS
  • APOSTE NO MAKE - Já viu alguma rainha de cara lavada? Por que make é algo da mulher poderosa? Simples: a maquiagem não tem o poder apenas de encobrir imperfeições ou embelezar o rosto. Maquiar-se tem a ver também com "cuidar de si" e, com isso, elevar a autoestima. Quanto mais autoestima voce tiver, mais poderosa vai se sentir. Sem contar que, como diz o ditado: "Mulher é igual índio: quando se pinta, está pronta para a guerra".
  • NÃO SE SACRIFIQUE
  • SEJA INDEPENDENTE
  • SAIBA MOSTRAR O SEU VALOR - Ás vezes, não adianta esperar que o outro reconheça o seu valor. Não importa se você é dona de casa, secretária ou executiva. Quanto você vale? Não sabe? Descubra e saiba mostrar o seu valor.
  • MANTENHA CERTO AR DE MISTÉRIO
  • FAÇA FALTA - Sabe aquela amiga que não perde um evento, é a primeira a chegar e a última a sair, mas já está ganhando fama de arroz de festa? Pois é, melhor evitar o exemplo dela. Siga pelo caminho oposto; não de as caras toda santa vez que a convidarem para uma festa, happy hour ou cervejinha. Pode parecer egoísta, mas não é. Agindo assim, você valoriza não apenas a si mesma, mas também as pessoas com quem sair, quando decidir sair. E lembre-se: a saída á francesa pode causar uma impressão mais surpreendente do que uma saída com estardalhaço. Além disso, a menos que você engate uma conversa interessante com alguém especial, não há motivo para ser a ultima a sair, quando a festa já tiver esfriado. Saia mais cedo e guarde uma recordação saborosa daquele momento! Presenças curtas, mas intensas em eventos sociais sao mais valiosas que a presença frequente e desinteressante.
  • DESENVOLVA OUTROS TALENTOS
  • LARGUE O TELEFONE
  • NÃO ESTEJA SEMPRE DISPONÍVEL
  • NÃO DE CHILIQUE
  • CONTROLE O CIÚME - As mulheres estão caindo em cima dele na festa? Deixe-as olhar; elas podem até babar por ele. O parceiro é seu. Valorize a sua conquista. Quanto mais confiante voce se mantiver, mesmo quando bater aquela insegurança, mais ele vai admira-la. Ele sabe que a situação poderia gerar ciúme e que, mesmo assim, voce se manteve inalterada e não agiu de forma irracional. Isso vai fazer toda a diferença tanto para ele quanto para as pessoas em volta, no sentido de mostrar quem está no controle. 
"O ciúme sempre nasce com o amor, mas nem sempre morre com ele". La Rochefoucauld
 
E acrescentando... o ciúme é diabólico .... portanto, cuidado com o ciúme exagerado!!!
 
Hoje foram apenas 22 tópicos resumidos e no próximo termino de postar ...
O poste de hoje é bem humorado e espero que gostem 
Até o próximo :*
 

domingo, 10 de maio de 2015

Conto \♥/

Boa noite amores *-*

Infelizmente ontem o blog ficou sem postagem, mas enfim .... Semana HOT acabou :( e como prometido um dia da semana tem conto aqui no blog do amigos do FACE....

O conto de hoje é de  VICENTE CARLOS MIRANDA - KAREN!

KAREN

Mesmo atrasada, Karen continua se arrumando lentamente. O celular toca, mas ela o ignora. Ao tocar novamente, ela atende insatisfeita.
— O que é, Marina?
— Karen, você ainda está se arrumando? Vamos chegar muito tarde para a festa. Já são nove e quinze da noite e estou te esperando desde as oito.
— Marina, não enche! Se eu fosse você, parava de me ligar se ainda quiser que eu te busque para a festa. Você não vai querer perder a carona para ir de ônibus, não é mesmo? Lembre-se que você mora neste bairro suburbano, bem longe da boate.
Do outro lado da linha, chateada, Marina desligou o celular, trocou o vestido pelo seu pijama e foi se deitar aos prantos.
                                                                             ***
Karen tem 22 anos e, apesar de seus longos cabelos loiros e de sua aparência angelical, sempre foi uma garota difícil. Por sorte ou por causa do destino, sempre teve tudo o que quis. Como seus pais nunca se dedicaram o suficiente pela sua boa educação, Karen passou a estabelecer suas próprias regras.
                                                                            ***
Quando Karen finalmente termina de se arrumar, às nove e meia, liga para sua outra amiga Bruna, quem também combinou de dar uma carona para a boate.
— Bruna, estou saindo agora. Já pode me esperar aí em frente da sua casa.
— Ok amiga, até logo!
Ao chegar em frente à casa de Bruna com o seu Porsche vermelho conversível, ela não a encontra. Irritada, começa a buzinar insistentemente. Em pouco tempo, Bruna aparece no portão de sua casa.
— Pare Karen, assim você acordará toda a vizinhança.
— Onde você estava? Te pedi para me esperar aqui em frente.
— Havia esquecido a minha bolsa lá dentro — explica Bruna.
— Vamos embora, Bruna. Não tenho mais tempo a perder.
Enquanto segue em direção à festa, Karen pega a sua lata de energético já preparada com uísque no porta-copo do carro e começa a beber. Faltando poucos quarteirões para chegar ao local do evento, as duas jovens são surpreendidas por um policial que acenava pedindo para elas encostarem o carro.
Sem falar nada, Karen entrega ao policial uma falsa carteira de estudante de Direito, juntamente com duas notas de cinquenta escondidas por trás da carteirinha de estudante.
— Boa noite menina. Você não acha que vai me comprar com apenas cem reais dirigindo este Porsche, não acha? — diz o policial com um sorriso sacana.
— O que posso fazer para acertar isso então? — responde Karen com um tom de voz firme e uma expressão séria.
— Primeiro você precisa descer do salto, menina. Se quiser continuar seu passeio, vai precisar desembolsar pelo menos quinhentos reais. E isso não é mais pelo Porsche.
Irritada, Karen pega todo o dinheiro da sua carteira e entrega para o policial. Ao receber o dinheiro, ele conta as notas de vagar.
— Nada mal, oitocentos reais. Vá embora menina, antes que eu tome este carro para mim.
Já furiosa, ela acelera o carro e arremessa a sua lata de energético em direção a um mendigo que dormia na esquina.
— Bruna, você me deve a metade desse dinheiro! — exclama Karen com um tom de voz agressivo.
— Mas eu não tenho nem a metade disso hoje.
— Se vira. Pague a minha entrada na boate hoje e transfira o restante amanhã usando o seu cartão de crédito. Inclusive, me dá o seu cartão de crédito agora. Não quero ficar careta nesta noite.
— Tudo bem Karen. — responde Bruna com um tom de voz manso, entregando o seu cartão.
Após entrarem na boate, as duas jovens se separam à procura de diversão. Ao dançar algumas músicas, Karen percebe um rapaz que a observa olhando fixamente. Ele era branco, tinha olhos verdes e estava trajando uma camisa social branca.
Ela se aproxima um pouco e começa a provocá-lo dançando de maneira mais ousada. Ele sorri.
— Qual é o seu nome? — pergunta Karen.
— Me chamo Henrique.
— Você não quer saber como eu me chamo?
— Não preciso, já sei o seu nome.
— Mesmo? Como sabe?
O rapaz apenas sorri novamente.
— Você quer mais uma dose de uísque? Essa fica por minha conta. — pergunta Henrique.
Karen aceita. Após algumas doses de uísque entre uma dança e outra, ela começa a perder seus reflexos e a noção do tempo. Já um pouco bêbeda, ela fala bem próximo ao ouvido de Henrique:
— O que você quer de mim?
— Pergunta errada. Você quem está à minha procura. — responde Henrique de maneira muito estranha.
Karen fica um pouco confusa. Como já estava ficando bêbada, ela o beija. Depois do beijo, Henrique pergunta:
— Está pronta para se entregar?
— Mas é claro que sim — responde Karen com um sorriso.
— Então você vai sentir algumas mudanças a partir de hoje.
Karen não entende muito bem o que ele diz, mas não se importa. Depois de mais algumas doses de uísque, Karen não vai se lembrando de tudo o que acontece até o fim da noite.
Ao acordar no dia seguinte com uma forte dor de cabeça, Karen se lembrou dos terríveis pesadelos que ela teve enquanto dormia. Ela não se lembrou de nenhuma imagem ou situação. Esses pesadelos se resumiam apenas nos sentimentos negativos que ela transmitia para outras pessoas através de suas atitudes.
Ela colocou a mão na cabeça e sentiu uma mancha de sangue em seus dedos, que vinha de um pequeno corte na sua testa. Karen fechou os olhos e se lembrou de Henrique, com o seu olhar fixo e dominante sobre ela.
A partir daquele dia, Karen passou a ter vários pesadelos durante suas noites. Isso a perturbava e a deixava cada vez mais confusa.
Após uma semana, Karen passou a ver imagens estranhas em seus pesadelos. Na última noite, sonhou com Henrique pregando suas mãos em uma tora de madeira. Quando observou em sua volta, percebeu que estava sendo crucificada por ele, em um lugar escuro e em chamas.
Fora de controle, Karen acorda e se levanta da cama rapidamente. Ainda de pijama, corre até a cobertura de seu prédio e, sem hesitar, pula da sacada.

GOSTEI DO CONTO XD
NADA FOI MODIFICADO NO CONTO, E ESPERO QUE GOSTEM DO MESMO JEITO QUE EU GOSTEI *-* E POR FAVOR, NÃO ROUBEM ^^
ATÉ O PRÓXIMO POSTE 

:*

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Conto Erótico - HOT!!!!



Boa noite amores *-*

Semana HOT aqui no blog e hoje é um conto também de minha autoria!!!! 


Amor sem compromisso

Sentindo sua falta fui atrás de outro, duas horas da manha te ligo e peço - Venha até o hotel, preciso te falar uma coisa.
Chegando lá, eu estava só de baby-doll, deitada na cama.
Vendo-me daquele jeito, pede desculpas e diz que entrou em quarto errado. Levanto rapidamente e puxo seu braço e falo baixinho em seu ouvido - Não. Este é o quarto certo. 
Ele me olha e pergunta - o que você quer?
Sem responder, te beijo e pergunto - Você ainda quer que eu te responda?
Por um minuto ele fica sem falar nada. Depois volta a me beijar loucamente. Eu encerro o e falo em seus lábios - Calma, eu não irei sumir de você! Deixe que eu faça. Por você! 
Fechando á porta atrás de si, ele me segue até a cama, onde inicio a beija-lo pelo pescoço e sua orelha e com as duas mãos eu tiro sua camiseta e passo a mão em seu corpo todo. Quando desço a mão para desabotoar sua calça.
Ele pega no meu braço e pede: Para eu parar que de agora em diante ele faria as coisas... "Ok" - respondi - Mas faça devagar para eu sentir...
Ele beija meu pescoço e tira minha camisolinha (baby-doll) passa as mãos em meus seios, em meu corpo todo... Tira meu sutiã e desamarra minha calcinha... Começa a beijar meus seios e chupa-los enquanto sua mão passeia em meu intimo me deixando mais excitada e soltando gemidos, rapidamente troco de posição retiro sua calça e vendo-o nu, passo a lingua sobre meus lábios e beijo teu corpo todo, seu membro duro e ereto pela excitação caio de boca.
Ele me vira e ficando em cima, chega perto... Eu abro as pernas e com os dois dedos, começa a massagear meu intimo... Ele me puxa pela outra mão... Beija minha boca e encosta seu pênis na minha vagina... Eu falo com a voz bem melosa: Não me provoca. 
Deito na cama... Abro as pernas e falo - Vem...
Depois de fazermos varias posições... Nós dois com os corpos suados, ele sorrindo fala - seu cheiro me excita... 
Dou risada e abro uma garrafa de vinho e vou tomar um banho... Logo mais ele vai embora e eu vou dormir...

JANAINA SOBRINHO!!
 



Ok, não é plenamente detalhado, mas é delicia na imaginação ... 
Espero que gostem e até o próximo
:* :*

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Poema erótico - HOT

Boa noite amores *-*
Continuando em nossa semana HOT aqui no blog...

Ok, os livros hot são deliciosos de ler, os detalhes também são incriveis de imaginar, mas vamos combinar, não somente os livros nos dão prazer de ler, mas sim os poemas eróticos ou apenas um conto!!!!

O poste de hoje não é livro e nem mesmo um conto e sim um poema de minha autoria ....

HOT

De pernas abertas
Se masturbando
Explorando seu intimo
No êxtase em seus seios
Essa é uma freira...

Sentada na cama
Com um consolo roçando seu intimo
Se molhando e lambendo os dedos
Explorando mais seu intimo
Chegando ao limite...
Essa é uma freira...

Os olhos de prazer
Os lábios inchados
A língua querendo algo insaciavel
Toda molhada e de pernas abertas
Essa é uma freira...

Sentada na cama
De pernas abertas se explorando
Se mostrando e se masturbando
Diante dos santos que já a esperavam
Com o membro duro
Já esperava para explora-la
Saboreá-la, saciá-la...
Essa é a santa casa de freiras e de santos negros!

 JANAINA SOBRINHO!

Sim eu tenho algumas fantasias eróticas e uma delas é uma freira bem sensual rsrrs
Espero que gostem do poema .... Até o próximo poste
:*


quarta-feira, 6 de maio de 2015

Literatura Estrangeira - HOT

Boa Noite meus amores *-*

Bom, hoje temos á continuação do capitulo HOT do livro NÃO POSSO ME APAIXONAR - BELLA ANDRE .....

Como dito o amor de Gabe e Megan não terminam no terraço de seu apartamento ... haha vamos continuar ....





Capitulo Vinte e Um


Quando Gabe salvou ela e sua filha do incêndio, ambas estavam na banheira e nessa noite prazerosa Gabe dá á ideia de ambos tomarem banho juntos na banheira... Depois de muito pensar e tentar não deixar o medo tomar conta, ela responde:
-Encha a banheira, Gabe.
Ele continuou a segura-la com força com uma das mãos enquanto alcançava as torneiras com a outra. Enquanto a banheira se enchia de água morna, Megan virou-se, pensativa, para o homem que a segurava no colo e passou a ponta dos dedos sobre a cicatriz levemente aparente na testa dele.
-Gostaria que não tivesse se machucado. - Os olhos dele se fecharam por um momento, enquanto ela passava levemente os dedos sobre a testa dele.
-Aquele dia no hospital... - Ele olhou para ela, a emoção profunda nos olhos dela fazendo-a tremer da cabeça aos pés. - Sinto muito por ter sido um babaca. - Ele pegou a mão dela, colocou-a sobre os lábios e beijou-lhe a palma. - Quando você entrou e vi você sem toda aquela fumaça, sem aquelas chamas, eu soube que era especial.
-Você quase morreu tentando nos salvar - ela reconheceu, com uma voz que parecia mais um suspiro. - Tinha o direito de se comportar como bem entendesse.
Ele balançou a cabeça.
[...]
Megan observou Gabe mudar de assunto quando lhe ergueu a palma da mão novamente até os lábios, mordiscando a pele sensível dela.
-Não levei o tempo necessário para despir você apropriadamente lá em cima - ele disse, começando a tirar as camadas de cobertores.
-Acho que você mandou bem - ela murmurou, enquanto se inclinava para beijar a parte de cima daquele peito maravilhoso e tentador. Megan estava aliviada pela maneira como ele a estava deixando permanecer fora das profundezas de suas emoções, mas, estranhamente, também estava meio decepcionada.
-Só bem? - com a voz rouca, ele cobriu o seio dela com a palma da mão e acariciou o mamilo com a ponta do polegar. O mesmo polegar que ela havia chupado e mordido quando estava no terraço.
-Hum! - foi tudo o que ela conseguiu exclamar, e então ele tirou todo o cobertor de cima dela e entrou na banheira carregando-a nos braços.
Nada podia ser mais romântico, mais sexy, do que esse banho a dois. Lá fora, no terraço, fizeram coisas arriscadas e excitantes, mas, ao entrar na agua morna e descansar as costas e a cabeça sobre o peito de Gabe, Megan suspirou fundo diante do prazer de ter todos os seus desejos realizados em uma só noite maravilhosa.
Gabe encheu as mãos de agua e derramou-a sobre a pele dela, molhando cada centimetro de seu corpo, inclusive o cabelo. Era tão excitante ser mimada dessa forma, era mais do que sexo, mais do que necessidade.
Ela se aconchegou no bíceps dele e beijou-o, enquanto ele se mexia para pegar o sabonete.
-Está tentando me distrair, querida?
-Não - ela respondeu, com sinceridade - Precisava beijar você.
Enrolando os cabelos dela no punho, ele lhe virou o rosto, firme, porém gentilmente, e sugou-lhe os lábios em um doce beijo.
E demorou para deixa-la respirar de novo.
-Eu também.
O sabonete havia escapado dos dedos dele durante o beijo e Gabe teve que procura-lo embaixo d'água, ao passo que suas mãos subiam e desciam na lateral dos quadris dela.
-Não está aqui. - Ele levou os pés até o fundo da banheira, procurando o sabonete - Nem aqui.
-Acho que sei onde está.
Ele olhou para os lábios dela ao perguntar:
-Onde?
Ela pegou uma das mãos dele e colocou-a sobre sua barriga.
-Está chegando perto.
Ele escorregou a mão um pouco mais para baixo, brincando com ela.
-Quase lá.
Ela segurou a respiração quando ele passou as mãos sobre os pelos pubianos e, em seguida, apalpou o sexo dela, com a palma larga da mão cobrindo cada centimetro daquele calor molhado; a respiração dela saía ofegante, em um orgasmo de prazer, e então Megan colocou a cabeça para trás. no ombro dele.
Era impossivel parar de pressionar os quadris contra os dedos dele, e Megan soube que ele não estava mais brincando quando dois dedos grossos dele penetraram-lhe a carne sensivel e macia quanto a outra mãos deslizava para concentrar-se no clitóris.
A lingua e, em seguida, os dentes dele encontraram as orelhas dela. Apesar da agua morna, apesar do calor do corpo dele atrás dela, Megan ficou toda arrepiada.
-Você é tão linda, querida. Tão linda. - Gabe passou a língua sobre aquele ponto mais sensível atrás da orelha um milésimo de segundo antes de pedir: - Goze para mim. Quero ver. Preciso sentir.
Mas ela ja estava gozando, já estava respirando ofegante e montando nas mãos dele quando os tremores dentro de sua barriga se transformaram em um terremoto incontrolável, com força total.
-Gabe!
Ela ajudou-a a chegar ao orgasmo, sem tirar nenhuma das mãos em nenhum momento; quando Megan finalmente voltou a si dentro da banheira, percebeu como ele estava grande e excitado dela.
[...]
-Sei que concordamos em não ter "e se" esta noite, mas não consigo parar de pensar... - Ela fez uma pausa e lambeu os lábios. - E se me ajudasse a realizar minha fantasia?
Subitamente, Megan queria ter a oportunidade de retomar o controle não só na banheira, mas também de sua esperança para o futuro, em vez de continuar agarrada ao medo.
Ele passou as mãos sobre as coxas e os joelhos molhados dela.
-Que tipo de fantasia? - o som profundo das palavras dele quase a fez desistir da fantasia e, em vez disso, montar no colo dele.
-Até hoje eu nunca havia tomado banho de banheiro com um homem.
-Que bom.
Ela teve que sorrir diante do prazer ciumento que ele sentiu por ser o 1º. Ela também estava feliz, feliz por poder realizar essas fantasias pela 1ºx com Gabe.
-Mas, ás vezes, quando estou sozinha e estou... - Ela parou nas palavras que não estava acostumada a dizer em voz alta.
-Se masturbando?
Ela concordou.
-Ás vezes, gosto de me imaginar em uma banheira como essa e ter...
Ela mordeu os lábios e ele gemeu:
-Se não parar de fazer isso, não tenho certeza se vamos conseguir realizar sua fantasia.
Os olhos dela se arregalaram e ela soltou o lábio.
-Ah. - Ela quase mordeu o labio de novo, mas segurou-se no ultimo segundos. - Ok.
-Megan - ela ouviu o apelo sensual na voz dele, claramente reforçado quando ele insistiu - Qual sua fantasia?
No entanto, ela já havia chegado á conclusao de que nunca iria confessar em voz alta. Em vez disso, teria que mostrar a ele.
Com a maxima elegancia possivel, considerando o quanto estava excitada e, ao mesmo tempo, nervosa, ela mexeu o corpo embaixo d'agua e virou de costas para Gabe. Olhando para trás por sobre o ombro, ela ergueu-se lentamente, ficando de quatro para ele.
-Isso - ela disse em um suspiro - Isso é minha fantasia.
O gemido dele ecoou pelas paredes azulejadas e então, finalmente, Gabe também começou a se mexer, cobrindo o traseiro dela com as mãos enormes. Mesmo arriscando-se mais do que jamais tinha feito com um amante, Megan surpreendeu-se quando ele inclinou-se para a frente e a beijou, primeiro de um lado da bunda, depois do outro. Devagar, Gabe passou a lingua da cintura até o pescoço, acariciando cada vertebra da coluna, até mordiscar a curva do ombro dela.
-É isso, Megan? É esta sua fantasia?
Ela não conseguia falar, somente balançar a cabeça e segurar-se firme na borda da banheira enquanto se encaixava nas curvas dos quadros dele. A água espirrou toda em volta deles quando Gabe penetrou-a por trás e, desta vez, quando ela foi á loucura, ele estava bem ali com ela, gozando, metendo tão forte e tão profundo que Megan não sabia quando um parava e o outro começava.
Com uma das mãos sobre o seio e a outra entre as penas dela, e os dentes e a lingua dele em seu pescoço, Megan entregou-se completamente nos braços de Gabe.


Sim esse capitulo ficou comprido, mas bem interessante .... Espero que gostem e até a próxima postagem, com mais cenas picantes.... E prazerosas de ler.....

:*

terça-feira, 5 de maio de 2015

Literatura Estrangeira - HOT

Boa noite pessoal *-*  ... Semana HOT aqui no blog .... aah quem não gosta de vez em quando ler algo relacionado á sexo? Como um livro, um conto, ouvir uma musica para nos deixar na imaginação ... hhaha é bom néh?

Então hoje, ou melhor, nessa semana HOT terá contos e alguns capítulos de livros HOT >.<

Em dois dias li um livro muito, muito bom .... serio me deixou numa imaginação incrível *O*
Livro HOT de nossa querida escritora BELLA ANDRE - NÃO POSSO ME APAIXONAR (haha, impossível não se apaixonar por Gabe) :p

O mais surpreendente é que eu comprei o 3º livro rsrsrs ... Ou seja, não sei como são os outros dois para comentar :(

Mas vamos comentar sobre o livro, certo?! E claro colocar alguns trechinhos bem sexy do livro ... ^-^

A história gira em torno de Megan com sua filha de sete anos, Summer, e Gabe, o bombeiro que as salvaram do incêndio que aconteceu em seu prédio.
Megan é viuva e prometeu jamais se apaixonar por alguem que se arrisca para salvar os outros, pois seu esposo morreu em um avião da marinha no qual trabalhava.
E Gabe também prometeu não se envolver mais com vitimas que ele salva. 
haha mas nao é bem isso que acontece ... O desejo fala mais alto e claro que com a ajuda de Summer, sua filha, que amou Gabe desde o inicio (até eu neh, amei ele no inicio rsrsrs), sempre da uma investida para junta-los... E resultado á forma do amor e do desejo falam mais alto.

AAAAH É CLARO QUE VOU COLOCAR ALGUNS TRECHINHOS DESSE INCRÍVEL ROMANCE TOTALMENTE HOT E QUE CATIVA A NOSSA ATENÇÃO!!!! 


Esse trechinho, ou melhor, capitulo foi o que eu mais gostei (não que os outros sejam chatos), mas esse foi o que eu achei muito, muito lindo >.<

Virada do ano Summer vai passar o ano na Disney com os avós (pais de Megan) e Gabe vai procurar por ela para os tres passarem a virada juntos, mas como a pequenina não estava presente então os dois passam sozinhos, no apartamento dele e no terraço da casa dele... somente os dois e claro que depois da promessa de Gabe "só vou beija-la depois da meia noite" ... haha foi a melhor.

CAPITULO VINTE E UM

Ao elaborar o pano inicial, Gabe decidira que, se as coisas dessem certo e ele acabasse tendo a sorte de ficar nu com Megan de novo, em algum momento do futuro, faria devagar. Saborearia cada milímetro do lindo corpo dela e se concentraria em levá-la ao ápice do prazer tantas vezes que ela não seria capaz de negar a conexão entre eles.
Entretanto, ele não contava com a ansia desesperada de ambos para ficarem um com o outro.
Gabe, pegou a camisinha que deixara sobre o cobertor e, antes que pudesse rasgá-la, Megan inclinou-se para agarra-lá entre os dentes e rasgou-a. Pegou á camisinha antes que caísse sobre seu peito e então a colocou no membro de Gabe, ereto e latejante, deslizando a camisinha sobre ele, e o toque excitante dos dedos longos de Megan fazia Gabe ranger os dentes para evitar explodir ali mesmo, nas mãos dela.
E as mãos de Megan já estavam nos cabelos dele, e ela lhe puxou os lábios sobre os dedos dela ao mesmo tempo que enroscou as pernas em volta da cintura dele e o recebeu dentro de si. Ela gemeu de prazer, e Gabe engoliu o gemido dela, agarrando-lhe os quadris para penetrar mais fundo, mais forte.
Por ser grande, Gabe sempre tomava cuidado para não machucar suas amantes. Entretanto, quando os musculos internos dela lhe apertaram o pau, o prazer de estar com Megan de novo foi tão intenso que ele não conseguiu pensar em mais nada, não pode fazer nada além de se entregar á intensidade do desejo pela mulher que se contorcia e gritava de prazer embaixo dele.
Ela arqueou-se, e Gabe abocanhou um dos mamilos dela, chupando-o com força, degustando o doce saber da pele dela contra sua língua, No céu, os fogos de artifício continuavam explodindo quando ela gozou; sua pélvis se esfregava nele enquanto Megan chegava ao orgasmo, com as mãos enroscadas nos cabelos dele, segurando-o contra os seios.
Ele não conseguiu se segurar nem mais um segundo, especialmente quando os musculos fortes dela o apertaram, sugando tudo o que tinha para dar. Desencostando a cabeça dos seios dela, Gabe mudou de posição, colocando o peso sobre os joelhos; então, agarrou os tornozelos dela e os ergueu até a altura dos ombros.
Ele tinha que penetrar mais fundo, tinha que tocar cada parte dela.
As mãos de Megan alcançaram os antebraços dele para que pudesse segurar com firmeza enquanto ele a penetrava cada ve mais fundo e mais forte.
-Ah, Deus! - ela sussurrava, com os olhos semiabertos. - Isso é tão gostoso. Tão, tão gostoso. - A cabeça dela inclinava-se para trás, as mãos acariciavam os próprios seios enquanto absorvia tudo o que ele estava lhe dando, e implorava: - Mais, Gabe. Por favor.
Ele não achava que alguma coisa pudesse deixa-lo com ainda mais tesão, mas o som da voz meiga dela implorando daquele jeito, bem como vê-la tocando-se enquanto ele a amava, fazia tudo se revirar dentro dele.
-Querida - ele murmurou enquanto o contato fisico selvagem daquele ato de amor criava emoções igualmente selvagens dentro dele -, não me faça chegar lá sozinho.
Mesmo vendo que ela tinha o olhar fixo nele, com a boca entreaberta em um grito silencioso de prazer enquanto atingia novamente o orgasmo, mesmo com o próprio corpo seguindo o mesmo caminho de verdadeiro caos, Gabe sabia que não estava só pedindo a ela que gozasse com ele.
Não, o que estava lhe pedindo era muito maior do que sexo, muito mais do que o melhor orgasmo que já tivera na vida.
Gabe não queria só o corpo de Megan; também queria seu ♥, queria conhecer e amar cada parte dela.
A cada momento que passavam juntos, percebia mais e mais o quanto ela era afoita e aventureira. Ela adorava altura e não hesitaria uma só vez em transar loucamente a céu aberto, no terraço.
Por quanto tempo essa caçadora de aventuras havia deixado de lado a verdadeira pessoa que era? Desde a morte do marido? Ou mesmo antes disso?

♠♠♠♠

Amanha colocarei outro trecho dessa maravilhosa noite de Megan e Gabe que não termina no terraço de seu apartamento.... Espero que gostem e até o próximo poste com outra cena deliciosa e prazerosa de ler .... >.<

:*


domingo, 3 de maio de 2015

Conto \o/

Boa Tarde amores *♥*

E vamos com mais um conto hoje? Devido á semana que não pude postar nada por falta de net, essa semana postando dois contos para compensar e a escritora de hoje é BÁRBARA FERNANDES com o conto: O GRITO!!!! - Contos dos amigos do Face ^^

O Grito

O desespero já não podia mais ser contido. Uma sensação de sufocamento foi lhe tomando. Com muito esforço, pois já quase não tinha mais controle sobre seu próprio corpo, abriu uma das janelas e soltou um ruído gutural. Era como se ao gritar, expelisse tudo que houvera reprimido durante anos. Estranhamente, não ouvia o próprio clamor, então tentava juntar todo ar em seus pulmões para que berrasse ainda mais forte. Foi em vão!
Seus vizinhos pareciam ignorá-lo. Nenhum lampejo de qualquer tipo de curiosidade, nem mesmo a mórbida. Sua cólera se tornou ainda mais violenta. Primeiro quebrou a janela numa tentativa frustrada de mostrar ao mundo todo o seu ódio não mais contido. Depois, foi a vez de todo o resto que via pela frente. Livros, porta-retratos, anotações, cadeira, sofá-cama... Tudo deveria ser destruído! Seus braços pareciam pesados e seus movimentos se tornaram difíceis, até levantar o pequeno abajur parecia um desafio hercúleo. Porém, seus dedos e punhos pareciam não sentir o impacto dos socos que dava no grande armário de sua minúscula sala.
Rapidamente, os resquícios de seu surto de ira cobriram tudo ao seu redor e mal podia se mover em meio aos destroços. As paredes pareciam lhe oprimir ainda mais. Queria a todo custo sair dali e foi abrir a porta da frente, mas não conseguia. Começou a tentar arrombá-la. Todavia fosse feita de uma madeira já frágil por causa do tempo e dos cupins, se mostrou um obstáculo intransponível. Não desistia e jogava partes da, agora quebrada, mesa e... NADA! Não havia parado de xingar e espernear, mas só agora parecia produzir algum barulho, era algo parecido com um gemido. Fez novo esforço para não gemer e veio um miado.
Apertou violentamente os olhos e ao abri-los, viu um gato preto na janela e eis que sua escrivaninha surgia novamente inteira diante de sua expressão incrédula, refletida na janela imunda, tal como os demais quatro ou cinco móveis de seu único cômodo. Virou-se para a pilha de despachos à sua frente e, sem proferir nem a mais singela sílaba, retornou à sua monótona rotina.





Nada foi modificado no conto e espero que gostem assim como eu gostei...
Até o proximo poste
:* :*

sábado, 2 de maio de 2015

Conto

Boa noite amores *-*
Infelizmente o poste que preparei para hoje deu errado :( ... mas teremos dois Contos dos amigos do Face ... eeee \o/

E o Conto de hoje é de THIAGO GUIMARÃES PANTALEÃO com o conto CIRCUITOS ....

“Qual é o animal que de manhã anda com quatro pernas, de tarde com duas e de noite com três?”

Revia novamente o áudio da mensagem, e como em todas as outras vezes, nenhum dado novo foi gerado.
Já fazia muito tempo que seu circuito adaptável revia esta mensagem tão... indecifrável.
A informação provinha de um mamífero dominante e, apenas por esta característica, fora armazenada em uma seção especialmente designada de sua memória. Os chamados “dados coletados” não possuíam nenhuma aplicação imediata para a sua unidade e, por este motivo, deviam ser descarregados e armazenados em uma estação. Porém, em seu atual estado de integridade – o qual não permitia locomoção – seu programa, em uma tentativa de encontrar uma solução para sua atual situação, fora forçado a desenvolver uma rotina adaptada para analisar os tais “dados coletados”...
... porém, mesmo depois de tantas análises de todos os dados daquela unidade; mesmo depois de redirecionar grande parte de sua capacidade processual para aquela tarefa (afinal, qual seria o problema em deixar de realizar análises de equilíbrio e locomoção quando não possuía mais pernas?); mesmo depois de rever incessantemente a mensagem do mamífero em conjunto ou não com a danificada seção de dados que mostrava o animal envergado, encarando seus visores de muito perto com os músculos frontais do rosto flexionados a mostrar os dentes (curiosamente apenas de um lado do rosto ); mesmo depois de tantos ciclos...
... a pergunta permanecia indecifrável.
Era uma pergunta, então deveria haver uma resposta. Qual seria a solução? Que tipo de animal teria tais características? Sua unidade não era especializada em análises, porém o fato de, mesmo não precisando, não possuir uma resposta era... inquietante.
O mamífero e sua unidade haviam acabado de sair de um confronto e, em vez de desativá-lo, o vencedor lhe passara a tal mensagem... e ficou esperando, possivelmente por uma resposta... que nunca veio.
Isso fora a quatro mil e setenta e um dias, três horas, trinta e quatro minutos e treze segundos.
E em todo este tempo a pergunta apenas lhe gerava mais perguntas.
Se após não achar uma solução e não conseguir concluir nada de útil que pudesse ser proveniente da possível resposta, por que motivo ele continuava a analisar a mensagem?
Porque concluíra – mesmo não havendo base para sua conclusão – que aquela informação poderia representar mais do que um simples assomo de palavras incabíveis?
Seria instinto?
Afinal, instinto era, segundo sua antiga base de dados criada pelos mamíferos dominantes, “uma informação armazenada em uma memória inerente que era indiretamente acessada em específicas situações (como auto preservação do indivíduo e da espécie) para criar conclusões e ações que não tinham justificações com base definida”.
Douglas Froiler havia depositado esta informação na matriz que gerara esta unidade e todas as outras que foram criadas no mesmo local.
E repentinamente um novo dado foi gerado.
Seu instinto seria proveniente de uma informação não depositada e não diretamente acessível? Seria isto uma característica de sua unidade? De sua designação? De sua... espécie?
Seu processamento analítico foi interrompido.
Um diagnóstico foi chamado.
...
Conflito com Axioma principal.
Atributo “espécie” não condiz.
Rotinas analíticas comprometidas.
Aplicando correção... Falha.
Substituindo dados e rotinas atuais por equivalentes anteriores estáveis...
...
...
...
“Qual é o animal que de manhã anda com quatro pernas, de tarde com duas e de noite com três?”

heheh GOSTEI DESSE CONTO, UMA PERGUNTA SEM RESPOSTA .... 
NADA FOI MODIFICADO NO CONTO E POR FAVOR, NÃO ROUBEM OS CONTOS DE NOSSOS AMIGOS, OK?
ESPERO QUE GOSTEM DO CONTO ASSIM COMO EU >.<
ATÉ O PRÓXIMO POSTE
:* :*

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Literatura Estrangeira

Feliz dia do Trabalho pessoal ^^

Boa Noite meus amores ♥_♥
Ainda na semana da Literatura o poste de hoje é especial e com muita dedicação... Na Literatura Estrangeira de hoje eu quero apresentar á voces um excelente livro que terminei de ler, chamado ANTES DE DORMIR  de S. J. WATSON

Sim tem o filme desse livro, porém eu nao assisti então sei dizer que o filme é bem detalhado como o livro, mas é muito mais muito bom o livro, é romance, porém não o romance meloso. \o/

Como sempre, os livros aqui do blog, não é resenha e muito menos a sinopse da contra capa do livro e sim um breve comentário do livro e com indicações, para ninguém ficar na duvida se é bom ou não.

Chega de enrolar, né? Vamos ao livro .....


O livro gira em torno de Christine que sofre um acidente, ela é atropelada por um carro, e acaba perdendo á memória, após os longos anos de tratamento em ala psiquiatra, ela recebe alta da casa de repouso onde ela ficou por alguns anos. Ok!
Um dia ela acorda e não sabe quem ela é, onde ela está, muito menos seu passado, não reconhece seu corpo, não reconhece nem mesmo seu marido Ben. 
Logo, nós conhecemos o Dr. Nash, seu psiquiatra que todas as manhas liga para ela dizendo que ele é médico dela e que dentro do guarda-roupa dentro da caixa de sapato está o diário dela.
A amnesia que ela tem é algo bem raro, ela esquece TUDO toda vez que dorme e nesse diário ela registra tudo o que aconteceu no dia á dia e só assim ela consegue ficar mais ou menos centralizada de sua vida, mas nao é nada fácil, a cada dia um sofrimento.
Até que ela descobre que teve um filho chamado Adam, porém ele morreu na guerra do Afeganistão.
Ela também registra isso no diário e a cada dia seu sofrimento é maior, porém muitas peças estão faltando em sua vida, seu esposo Ben mostra á ela poucas fotos deles casados, de Adam pequeno, enfim e ela começa especular mais perguntando de mais fotos e afim e ele explica a falta das fotos com um simples incendio que aconteceu na antiga casa deles.
Até ai tudo é normal.
Porém, ela acaba se lembrando de Claire, sua melhor amiga, e Ben conta que a amiga foi embora para Nova Zelândia, logo após ela ter piorado ainda internada na ala psiquiatra. Mas, num certo dia o Dr. Nash lhe entrega o telefone de Claire e ela já recordando mais ou menos de alguma coisa, ela já começa ficar intrigada sobre Ben não estar lhe contando as coisas, ela no desespero de melhorar entra em contato com a amiga, pois nessas poucas semanas que ela tem se encontrado com o médico as escondidas e anotando as coisas no diário também as escondidas, ela passa á se lembrar de muitas e lembra também que ela traia Ben.
E então sua amiga lhe entrega uma carta de Ben, confirma que realmente ela, Christine tinha um amante e pede perdão á Christine por ter transado com Ben algumas vezes enquanto ela estava piorando da sua doença. 
Christine descobre que era escritora, lançou até mesmo um livro que foi um sucesso total.
[...]
O livro tem tres partes
Parte I- Hoje
Parte II- O Diario de Christine
Parte III- Hoje.
  [...]
Ao decorrer do livro, Christine tem lembranças de um hotel em Brighton, champagne, rosas, luzes de vela e um cartão escrito "Eu te amo". 
Essa lembrança é a chave de tudo, porém só é revelado na ultima parte do livro.

Claire disse que Adam está vivo.
Ben disse que Adam morreu.
Claire disse que não ouve incendio.
Bem disse que ouve um incendio.
Ben disse que ela perdeu a memória em um simples atropelamento de carro.
Dr. Nash é apenas uma ajuda, junto com seu diário.
E o amante onde fica nessa história toda? E seu nome?
Será que Ben a perdoou pelo ato infiel? 
Só da para responder á todas essas perguntas na ultima página do livro, ou seja, na página 399 é revelado tudo, voce não consegue soltar o livro, é intrigante, apaixonante e muito envolvente essa história. 

A MEMORIA NO DEFINE.
COMO SERIA, ENTÃO, SE VOCE A PERDESSE TODA VEZ QUE DORMISSE?

SEU NOME, SUA IDENTIDADE, SEU PASSADO, ATÉ MESMO AS PESSOAS QUE VOCE AMA... TUDO SERIA ESQUECIDO DA NOITE PARA O DIA.

E A ÚNICA PESSOA EM QUE VOCE CONFIA TALVEZ ESTEJA CONTANDO APENAS PARTE DA HISTÓRIA.

BEM VINDO Á VIDA DE CHRISTINE.

  Só lendo para ter a sensação que esse livro nos traz e a depressão quando termina >.<
Ou vendo o filme, que eu acho que é bem resumido do livro!

Até o próximo poste que também será de Literatura ....
:*

O Castelo de Lobo

             Boa tarde gente bonita .... Maratona de livros dessa semana , mas para não fazer uma postagem muito grande, vou divid...