domingo, 29 de março de 2015

Conto!!!!!

Boa Noite, pessoas lindas, maravilhosas e elegante :*

Peço-lhes perdão por não ter feito esta postagem na sexta-feira (realmente nao deu tempo), mas hoje o poste é o 2º conto da galera do face que fizeram um e-book e minha amiga Karime me passou e como resultado estou divulgando os contos aqui no blog ^^

O conto de é hoje é de DAVYD VINICIUS

A NOITE DE VIC

________
Victória chega na festa de casamento de sua tia junto com seu marido Raphael. Ela estava apreensiva pois sabia que iria reencontrar Carlos, seu grande amor de infância.
Essa seria a primeira vez que eles se veriam depois que Carlos voltou de Nova York, onde esteve estudando durante 5 anos. Ela não fazia a menor ideia de como ele estava, se havia casado, se estava solteiro, se havia mudado ou se estava do mesmo jeito. Mas o maior medo dela, era saber como seu coração reagiria ao vê-lo, e, independente de como fosse, ela teria de se conter, pois seu marido, o homem com quem Victória decidiu passar o resto de seus dias, estava ali ao seu lado.
Então eles entraram, cumprimentam alguns amigos e parentes, foram até os noivos para parabenizá-los e caminharam até a mesa aonde vão ficar. Já sentados, Raphael percebe que Victória está nervosa e pergunta:
— Vic, está tudo bem?
— Sim querido, por quê não estaria?
— Por que você está nervosa e não para de olhar para os lados? Está procurando alguém?
— Procurando alguém?
Victória olha para o lado e vê sua prima que acaba de chegar.
— Estou sim, mas olha ali, minha prima Katty, ela acabou de chegar — Diz Victória disfarçando.
Ela se levanta e vai até a prima cumprimentá-la.
— Prima, esse é o Raphael, meu marido — Diz ela apresentando-a ao Raphael.
Eles se cumprimentam e Raphael diz:
— A Vic estava eufórica pela sua chegada.
Katty sorri e olha para Victória, estranhando, pois ela e Vic nunca foram muito próximas.
Victória, ainda ansiosa, convida a prima para se sentar junto a mesa. Katty, sem conseguir disfarçar o desconforto, aceita.
Victória decide ir até o banheiro. Quando estava voltando, esbarra sem querer em um rapaz, pede desculpas e segue em direção a mesa. Assim quando ela se vira, dá de frente com Carlos vindo em sua direção. Ela observa que ele não mudou muito fisicamente, mas está mais maduro, com roupas mais sofisticadas, com barba e com certeza mais atraente.
Vic tenta disfarçar o máximo sua euforia até que ele chega e a cumprimenta.
— Victória, quanto tempo — Diz ele sorridente.
— Carlos, como você está diferente.
— Sim Vic, os anos em Nova York me fizeram amadurecer muito.
— Pois é, você está muito bonito.
— Obrigado, você também continua lindíssima.
Eles ficam mudos e olhando fixamente um para o outro. Na cabeça de Vic, mil coisas estavam se passando, inclusive a lembrança de quando eles eram menores e o amor que ela sentia por ele.
Então, em um milésimo de segundo, eles se esquecem de onde estavam e seus corpos se encontraram, ali no meio da festa, e se beijaram com toda intensidade de seus corações, revivendo pelo menos um instante do passado. A festa para e todo mundo começa a olhar para eles. Victória escuta um grito e sente que Carlos foi empurrado. Quando ela olha para o chão, encontra Raphael batendo em Carlos. Desesperada, tenta separar os dois e aquilo vira uma grande confusão, até que os dois são finalmente separados.
— Victória, o que é isso? Se você queria acabar com a minha festa de casamento, muito bem, você conseguiu! — Diz a tia de Victória chorando.
Então ela sai correndo e algumas pessoas vão atrás.
Envergonhada, Victória vai para um jardim que estava vazio e começa a chorar. Depois de alguns minutos, Carlos aparece e a pede desculpas por tudo o que aconteceu.
— Tudo bem Carlos, agora já aconteceu, fazer o quê. Agora só me deixe um pouco sozinha.
Eles ficam ali calados durante alguns minutos, até que Carlos diz:
— Vic, eu tenho uma ideia. Vamos embora daqui, vamos ficar juntos. Você larga desse cara e nós vamos ser felizes.
— O que? Você só pode estar louco.
— Não Vic, eu sei que você gosta de mim, você me beijou!
— Carlos, esse beijo foi um impulso. Eu amo o Raphael e é com ele que eu vou passar o resto da minha vida. E a propósito, eu vou atrás dele, que é quem realmente me importa. Adeus Carlos.
Victória vira as costas e vê Raphael no portão. Ela vai em direção dele, mas antes dela dar dois passos, Carlos a puxa pelo braço e a beija mais uma vez, fazendo com que Raphael veja tudo novamente.
Raphael vai embora, enquanto Victória furiosa empurra Carlos e sai correndo atrás de seu marido.
Ela procura por tudo, mas não o encontra na festa, liga para o celular dele, mas só dá na caixa postal. Ela então vai para casa na esperança de o encontrar lá.
Ao chegar em seu apartamento, abre a porta às pressas. Quando entra, procura ele por todos os cômodos. Assim que ela chega no quarto, vê ele de costas, sentado na cama e virado para a parede. Vic começa a falar:
— Raphael, meu amor, me desculpa por tudo aquilo. Você sabe que eu te amo muito e é com você que eu quero passar o resto da minha vida.
Mas ele permanece do mesmo jeito. Ela senta-se atrás dele e passa a mão no seu cabelo.
— Tudo bem Vic, mas agora vamos deitar e esquecer toda essa história.
Ela o abraça, eles deitam-se na cama, começam a se beijar e, entre os beijos, Victória diz:
— Eu te amo muito e jamais te trocaria por qualquer outro homem.
Ele olha para Victória e quando ela olha para os olhos dele, vê os olhos de Carlos, e ele então diz:
— Eu também te amo.
Quando o dia clareia, Victória acorda com Raphael a chamando:
— Vic acorda! Temos que ir buscar o seu vestido para a festa da sua tia hoje à noite.
Assustada, senta-se rapidamente na cama, fica durante alguns minutos pensando e começa a gargalhar.
DAVYD VINICIUS

Nada foi modificado no conto....



Quero agradecer o total de visualizações que o primeiro conto teve e espero que esse tenha o dobro do primeiro e assim por diante, é isso gente, ajudem na divulgação.... E, por favor, não roubem os contos aqui do blog .....

Espero que gostem desse conto assim como eu ....
Até a proxima postagem :*

sexta-feira, 20 de março de 2015

Contos \o/

Boa noite, gente linda, bonita e elegante *-*

Abrindo a nossa pagina de hoje com Contos, um conto por semana e o primeiro conto de hoje é de RENATO SILVA - OS CONTOS POSTADOS AQUI É DA GALERA DO FACEBOOK, QUE FIZERAM UM E-BOOK COM CONTOS, CADA UM MANDOU O SEU E MINHA QUERIDA AMIGA KARIME *-* ME PASSOU O E-BOOK E ACHEI MUITO LINDO OS CONTOS E DECIDI POSTAR NO MEU BLOG \O/ ESPERO QUE GOSTEM ASSIM COMO EU ^^

Primeiro Conto - Renato Silva

Minhas Impressões Sobre Este Mundo

Esta é a minha primeira postagem neste blog. Não sei se alguém irá ler, pois faz um ano que vago por aí e não encontro uma “alma viva” sequer. Resolvi escrever um pouco sobre mim; não acho justo passar por este mundo sem ser notado. Se um dia alguém ler isto, pelo menos saberá que existi. É engraçado que eu nunca pensei sobre essas coisas, nunca me importei em escrever sobre mim ou qualquer outra coisa. Só que agora tudo é diferente, estou num lugar estranho e completamente sozinho. Não sei nada sobre este mundo e não há ninguém que a quem eu possa pedir ajuda.
Por algum motivo, não me lembro qual, estive dormindo por muitos anos. Em minhas últimas lembranças, eu tinha 24 anos e o ano era de 2010. Eu tinha pai, mãe, namorada, cachorro e alguns amigos. Tinha emprego, praticava esportes e nenhum problema de saúde. Lembro vagamente desta vida que levava, mas não me lembro de coisas desagradáveis. Até agora não entendo porque estive naquela câmara. Me olho no espelho e vejo algumas marcas da idade em meu rosto. Será que envelheci durante a minha hibernação ou será que não consigo me lembrar dos anos seguintes, estando eu mais velho e em um outro momento da minha vida?
Estive dormindo por muitos anos, não sei quantos. A contagem do tempo mudou, os computadores marcam como ano 74. Que evento deve ter acontecido para que os computadores tivessem iniciado uma nova contagem do tempo? Não há nada na rede que seja anterior ao ano 0 desta nova era. Também não achei livros ou revistas impressas, só há material digital e com menos de 75 anos.
Acordei numa sala de baixa iluminação, limpa, paredes claras, sem qualquer inscrição nelas. Eu estava vestindo uma roupa clara e leve, sem qualquer inscrição. Na mesma sala havia mais sete câmaras iguais à minha. Seis estavam fechadas, vazias e desativadas; apenas uma estava aberta. Eu não sei explicar o que sentia naquele momento. Estava confuso, tonto e com a visão embaçada. A baixa iluminação da sala parecia ter sido pensada para não agredir aqueles que viessem a acordar após um sono tão longo. Sentei um pouco no chão, esperando recobrar o equilíbrio e a visão. Após uns minutos, me levantei e saí. Fui caminhando lentamente até à porta. Havia um grande corredor, tanto à minha direita, quanto à minha esquerda. O prédio era relativamente grande, com vários andares; eu estava no meio. Até hoje não sei se aquilo era um hospital ou uma universidade. Com exceção da sala de hibernação – que estava impecavelmente limpa – o restante do prédio estava carregado de pó em algumas salas e com pequenas vegetações crescendo em alguns pontos de rachadura e umidade. O prédio era bem moderno, algo que eu nunca tinha visto antes. Parecia cheio de sensores e sistemas que mantinham o ambiente um pouco mais limpo e iluminado. Pelo tempo de abandono daquele prédio, era para estar muito pior. Consegui alimentos numa grande sala destinada a este fim. Os alimentos estavam muito bem embalados, num sistema que não existia em minha época. Deviam estar ali há muitos anos, mas nada estava estragado. Nada do que comi me caiu mal. Além dos alimentos industrializados que achei, havia no térreo uma grande horta que se transformou num grande matagal. Não me faltaram alimentos durante esse tempo todo.
Após alguns dias, tomei coragem e saí do prédio. Já estava bem lúcido e ansiava por encontrar alguém que me dissesse o que estava acontecendo. Do lado de fora, vi uma rua mais fechada e toda arborizada. Não havia pessoas, tudo parecia abandonado, mas nada que parecesse ter sido destruído. Havia vegetação alta em algumas calçadas e muitos animais passeando por entre as copas das árvores. Em dado momento, me deparei com um bando de cães. Tentei me aproximar deles, mas eles não foram amistosos. Ao mesmo tempo que pareciam com medo, me hostilizaram com rosnados e a exibição de seus caninos afiados. Virei para outra direção e andei bem rápido. Estes cães se tornaram selvagens, após tantas gerações, sem conviverem com pessoas. Melhor assim, para eles.
Os prédios da cidade não eram muito altos, a cidade parecia ser do tipo “interiorana”, apesar da aparência moderna de suas construções. Vi muitos veículos abandonados. Não consegui ligá-los. Desde então, venho fazendo minhas viagens numa bicicleta - extremamente leve e confortável. Depois que saí da cidade, percorri muitas vilas e propriedades rurais abandonadas. Via animais de todas as espécies, muita vegetação, água em abundância, mas nenhum vestígio humano. Nem restos mortais encontrei. Cheguei a esta base há uma semana. Foi aqui que consegui acessar um computador pela primeira vez. Agora posso contar sobre mim para quem estiver acessando esta rede. Tenho um caderno de anotações, mas postando na rede será muito mais fácil eu achar alguém – ou alguém me achar. Não acredito que sou o último homem da Terra. Tenho muitas dúvidas, preciso esclarecê-las. A dúvida me angustia e me deixa sem saber o que fazer. Não sei para onde ir, o que mais fazer. Por enquanto, ficarei aqui; talvez até os meus recursos acabarem. Logo partirei, mas não sei para onde e se neste lugar terei abrigo e alimentos.
Esta é a minha primeira postagem. Voltarei a dar notícias.
05/07/0074


NADA FOI MODIFICADO NO CONTO !!!!!!

Gostei muito desse conto e confesso que até viajei na ideia do escritor .....

Até o próximo poste :*


quinta-feira, 19 de março de 2015

Literatura Brasileira - novos talentos \o/

Boa tarde gente linda, anima e rica \o/ - não os abandonei certo?
Preciso confessar que sou maluquinha quando o assunto é livros, aaaah amo ler livros, paixao eterna.

Ontem terminei de ler o segundo livro da série Lilac - por Deus que livro é aquele, senhor .... Quem nao leu precisa ler, é show de bola e escrito por uma brasileira, isso mesmo um BRASILEIRA lá do Espirito Santo .... nossa talentosa Deisa Muller ..... porém o livro tem um ar de americano, do tipo a história acontece em Denver - Colorado. Los Angeles, Nova York, enfim ... mas a história em si é muito bonita.

Chega de falar né e vamos para o nosso querido comentário do livro eeeeee.....

Eu conheci o livro na Bienal que teve em São Paulo ano passado, confesso que comprei o livro pela capa ser bonita e interessante, li a sinopse e algo me deixou curiosa .... Compensa ler...


O lindo romance é envolta de Craft e Megan - feiticeiro e feiticeira/súcubo .... 
O livro conta com a maior parte dele em sexo entre os dois, tipo é uma atração que as vezes você até se perde, sobre focar na história mesmo...  Encontramos Delion irmão de Craft e Dunstan quem criou os dois após a morte dos pais e varios outros personagens, como Helen á filha de Craft que é mto cute... Contamos com o bom humor dos personagens e confesso que as vezes ria sozinha com algumas cenas.
Como disse mais pro final do livro é contado á história mais focada e acontece que Megan troca de lugar com Craft no inferno, ou seja, sacrifício amoroso. 

Sim, essa delicia na capa é o nosso querido Rei Craft !!!!!! O.O

Segundo livro eu não encontrei em nenhuma livraria e sim no e-book - kindle, ler pelo celular (confesso que odiei ler no celular, mas compensou).
O segundo livro é mais focado na história e menas cenas de sexo (o que é bom, na minha opinião). Megan volta do inferno como súcubo, é rainha do Clã de sucubos e incubos e totalmente modificada da doce Megan que conhecemos no 1º livro, isso tudo por que sua alma esta praticamente despedaçada e esse seu lado demoniaco quem a domina, porém a sucubo que ela se tornou não consegue fazer sexo como deveria com os outros, pois Megan ainda controla um pouco da mente da sucubo e isso torna as coisas mais interessante, ele só permite sexo com Craft! >.< 
(achei mó preconceito com os demais, só por que o cara é gostoso, rei amoroso, carinhoso, gentil, romantico, gente nosso querido Craft é o homem que pedimos á Deus, porém somente em livros existe, só por ele ser assim, Megan só faz "amor" com ele.) rssrsrsr  

A história junta mais personagens e mais casais fofos, tipo bruxa com feiticeiro, humano com feiticeiro, enfim .... gente amei o casal Gaby (bruxa) e Fergus (feiticeiro) *-* só lendo mesmo.
E junta anjos também na história. 
Para não dar um nó na cabeça de voces, hehehe, o objetivo é destruir Ifrit e Iphtriz.
Megan acaba gravida e ela e Craft se casam..... E para nossa tristeza tem o terceiro livro Darkness que devemos esperar anciosamente até o ano que vem :'(
Craft aceita uma proposta com os Anjos, porém iremos saber só no terceiro livro.   


Eu particularmente li o 1º livro em 2 dias e o 2º livro em 3 dias hehehehe cativou mto minha atenção o que é mto dificil. Amei o livro e por isso, ele ganhou um poste hoje no meu blog.



*Gente novidades, para quem gosta de Contos, começarei a postar contos aqui no blog, não apenas de minha autoria, mas de outros escritores também, espero que gostem ...

Até o próximo poste que será Conto

:*


segunda-feira, 9 de março de 2015

Poema

Mais um poema de Renato Dias

O fogo apeia das brasas,
Resta inclaro,
Meu jeito espesso de olhar.

Dificil é abrir as persianas
Do verso, só com ideias.

História trágica por trás de uma lindissima musica!

Boa Noite pessoas lindas e animadas \o/
Assunto de hoje Japão (eeeeeeeeeee), adoro os asiaticos, principalmente coreanos >.<, até hoje me pergunto por que nasci no Brasil, bom enfim.

Tratando de Rock japones, vou lhes apresentar uma de minhas bandas favorita The Gazette - em postes anteriores eu ja citei sobre a banda e outras também e sobre o visual Kei que toda banda japonesa utiliza, deixando como marca.

The Gazette uma banda de J-Rock formada em 2002, pelos integrantes Ruki, Uruha, Aoi, Reita e Kai.
Não vou comentar sobre a banda e sim sobre uma musica especifica, chamada Taion:
Abaixo segue o video da musica:
 Taion (tradução) 
Um céu gelado e a luz da rua quebrada, vento frio
Sombra desconhecida, a pegada da desolação
Liberdade foi tomada

Um entendimento é impossível

Se isso acorda o teto escuro
Uma voz risonha afunda no ouvido, isso é sujo
E a violência me estupra

Um entendimento é impossível
Por que fui eu o escolhido? Alguém devia responder

De alguma forma quero que me responda o quão ruim é o sonho
Quantas vezes tenho que dar um grito de sofrimento
De alguma forma quero que me fale o quão ruim é o sonho
Com a voz no fim gritei tantas vezes

Não há uma mão de preparo do cabelo desarrumado
Uma voz risonha afunda no ouvido, uma temperatura desmaiante é misturada no inverno

Segurei a voz e fiz escutá-la em mim que estava explodindo
O viver vai se perdendo de vista
Segurei a voz e as noites que tremi vai se afogando na dor
Perdoe a respiração que parece estar no fim

De alguma forma quero que me responda o quão ruim é o sonho
Quantas vezes tenho que dar um grito de sofrimento
De alguma forma quero que me fale o quão ruim é o sonho
E pela última vez quero sorrir novamente



Coloquei até a tradução da musica.

Como podem ver o video além de triste é agonizante também.... Lembro-me até hoje quando ouvi The Gazette pela primeira vez (ok, faz um certo tempo que conheço a banda) e quando ouvi essa musica pela primeira vez eu chorei. Sei que vai parecer idiotice, falando que chorei diante desse musica, mas eu chorei por sentir a dor desta musica.
Eu tenho algo comigo que não é normal, eu sinto á musica falar comigo e muita das vezes eu sinto que a musica é cantada e tocada com tanta dor, agonia que chega a me sufocar em um ponto que eu choro e não aguento mais. Era algo muito sobrenatural para mim.

Após essa experiencia, eu não ouvi mais a musica e depois de alguns anos voltei a ouvi-la e o sentimento era o mesmo, acredito que até pior, tão agonizante que eu escrevi até um poema em cima dessa musica. Foi então que decidi pesquisar sobre a musica e descobri uma história muito trágica por trás dela.    

Então vamos falar um pouco sobre a história do trás da musica:

Vou colocar o resumo dessa história que eu li, se querem ler completo logo no final colocarei o site que conta bem detalhado, se é que voce quer ver detalhado.

O horror de Junko Furuta "A Colegial Concretada". Aconteceu em 1988

Junko era uma colegial do 2º grau, e quatro rapazes á sequestraram e á mantiveram em cativeiro por 44 dias. Na época os criminosos também eram adolescentes.
Um dos 4 rapazes era líder da Yakuza de baixo nivel e deixaram-na em cativeiro na casa de um deles, os pais perceberam sobre a mentira dela ser namorada de um deles e ela também pediu ajuda, mas o garoto os ameaçaram e então calaram a boca e taparam os olhos.

De acordo com as declarações do julgamento, os quatro a estupraram, espancaram-na com tacos golfe, varas de metal, introduziram objetos estranhos, incluindo lampada em sua vagina, fizeram-na comer baratas, beber de sua própria urina, inseriram fogos de artificios em seu anus, forçaram-na a se masturbar, cortaram-lhe o mamilo com alicate, queimaram-na com cigarros e isqueiros, etc. Um dos ataques com queimadura, foi punição por ela ter tentado chamar a policia.

Os rapazes também relataram que muitas pessoas sabiam onde ela estava e o que estava acontecendo, mas todos vendaram os olhos e boca.

Ela pediu várias vezes para ir embora, mais eles nao a deixaram e com isso ela pediu para eles mata-la e acabar logo com sua dor. Em 4 de janeiro 1989 os rapazes a espancaram com barra de ferro, derramaram fluido de isqueiro nas pernas, braços, rosto e estomago, e colocaram fogo. Mais tarde ela morreu por conta do choque das queimaduras. Em 5 de janeiro de 1989, os assassinos esconderam o corpo e um tambor de 55 galões cheio de cimento, desfazendo-se do corpo em Koto, Tóquio.

De acordo com as declarações do julgamento... Furuta foi estuprada (+ de 400 vezes) e espancada diversas vezes.

Óbvio que como todo assassino é o mesmo dialogo, os 4 rapazes simplesmente disse em julgamento que eles nao tinham conhecimento de que ela estava gravemente ferida e que eles pensaram que ela estava fingindo.

Meu comentário: Pena de morte pra eles era pouco.

Voltando ao assunto:
Os monstros, assassinos, e varios outros nomes, foram condenados á prisão, pena que não á morte.
Junko era acostumada a andar com membros da Yakuza, como podemos dizer ela era uma dessas moças namoradeiras, então seus pais meio que aceitaram a versão de que ela estava com algum rapaz, não que nao foram feito buscas, sim fizeram, porém algumas testemunhas disse que a viu entrando no motel com um membro da Yakuza e o caso se encerrou.

Foi feito dois filmes relatando o fato, mais confesso que não tive coragem de assistir.

O surpreendente disso tudo é que não teve um motivo para eles fazerem isso com ela.

Quando eu li sobre isso: me perguntei varias vezes se Deus existia naquele momento para essa garota sofrer do jeito que sofreu, ok, faz um certo tempo que isso aconteceu, mas á monstruosidade foi muito grande. Se ela mereceu uma morte dessa, não ela não mereceu, ou melhor, ninguém merece ser morto nas mãos de outro alguém e muito menos ser torturada da forma que ela foi.

Após ler a noticia, tudo fez sentido diante do sofrimento da musica.

Para ler mais detalhado sobre o assunto
http://pasdemasque.blogspot.com.br/2011/10/historia-de-horror-de-junko-furuta-o.html

Neste site contém e foi de onde retirei um pedacinho desse acontecimento.


O poste de hoje não foi nada legal, eu sei, mas hoje que tomei coragem de compartilhar a história por trás de uma linda musica de minha banda J-Rock favorita...

sábado, 7 de março de 2015

Poema

Aha! Que não esqueci de postar o poeminha de Renato Dias.

No corpo da tormenta
Enrola-se a serpente
De Laocoonte.

São duas coisas identicas.

Atormentada lembrança
De Santa Tereza D'Ávila,
Subindo do chão.




Até o próximo poste :*

Behemoth

Boa Tarde, gentes lindas *-*

Faz tempo que não homenageio bandas de rock, e nem falo sobre rock (¬¬') mas hoje vou fazer uma homenagem á uma banda de black death metal, que conquistou os meus ouvidos, á alguns anos.

Como já havia dito em postes anteriores a primeira banda de rock que eu ouvi foi Crafle Of Filth - (eterno, sou amante dessa banda), em seguida foi Dimmu Borgir, logo Dark Funeral, em seguida Gorgoroth e Behemoth.
Haha! Só banda top (digamos assim), mais entre essas quatro bandas citadas a banda que me cativou de um jeito sobrenatural foi Behemoth.
Sim, isso mesmo sou apaixonada por Behemoth e hoje minha homenagem é para essa belíssima banda polonesa formada em 1991, pelo Guitarrista e Vocalista Nergal.



De primeira quando se escuta Behemoth você fica se perguntando, quem entende isso? E outra, quem curta banda satânica? Vou fazer um breve comentário antes de falar um pouco sobre a banda:
Eu não tenho isso comigo, Ah! É banda satânica nem vou ouvir. Claro que pensando nessa linha realmente você nunca ira entender mesmo, mais se prestar atenção cada musica e cada letra é algo dominante, esplendido e sobrenatural até.
Eu apaixonei por Behemoth de um jeito completamente sem explicação, assim como Cradle Of Filth, Nergal é a voz dessa banda, garanto que se um dia a banda pensar em desmanchar (por favor, isso nunca aconteça), se Nergal sair da banda o Behemoth acabou.
Quando ele canta eu sinto uma libertação total, sua voz rouca é marcante das musicas, o jeito com que ele canta dando aquele ar libertador é encantador demais, chega de falar e amos conhecer um pouco mais da banda! *-*



A banda Behemoth, foi formada em 1991, pelo líder e atual vocal e guitarrista Nergal e pelos ex-membros (Baal - bateria) e (L. Kaos - guitarrista). A banda começou com o primitivo e puro Black Metal.



  O primeiro trabalho da banda foi: Endless Damnation.













Após um certo tempo lançaram uma demo ...From The Pagan Vastlan, gravado pela Pagan Records (o primeiro contrato com uma gravadora).

Até então á banda ainda não tinha aquela visão tão positiva como o esperado.









Lançaram o Ep And The Forests Dream Eternally

E em seguida o album Sventevith (Storming Near The Baltic)

Após o lançamento desse dois álbuns á banda ganhou uma visão positiva e assinou o contrato com outra gravadora. 
O lançamento do álbum Grom, foi realmente uma grande surpresa, a banda já estava mais com a sonoridade. Fazendo uso de vocal feminino e o uso de guitarras acústicas. 
 Partindo desse álbum á banda conseguiu fazer uma turnê pela Europa entre outros lugares e após três anos já de caminho, lançaram um novo álbum, Pandemonic Incantations:
 Após o lançamento desse álbum foi um verdadeiro estouro paro mundo inteiro sobre essa banda e pelo fato dela ter uma carreira curta e com isso o álbum rendeu uma enorme turnê e em 1998, assinaram com outra gravadora.

O primeiro álbum em colaboração com essa gravadora foi Satanica, muitos fãs a considera como o melhor álbum.  
  
, neste álbum a banda mudou totalmente a sonoridade de Black Metal para Death Metal, o álbum rendeu turnes com as bandas Satirycon e Deicide, porém durante á turne a banda sofreu albuns problemas na formação e entrou o baixista Novy e o guitarrista Havoc.

Seu próximo álbum foi  Thelema.6
   Neste álbum a banda inovou muito mais que nos anteriores, guitarras mais técnicas, bateria mais brutal e a composição magnifica.

Em 2001 a banda lançou o Album Zos Kia Cultus (Here And Beyond) e novamente o lançamento foi impressionante, rendendo muitos shows internacionais.

Em 2003, a banda sofreu mais uma mudança na formação, saindo Havoc e Novy. No começo de 2004 Nergal conseguiu com que Orion entrasse na banda como baixista.
Ainda em 2004 o sétimo album da banda foi lançado, com um novo integrante conhecido como Seth.
O álbum Demigod. 

Em 2007 á banda lançou seu oitavo álbum The Apostasy (indicado o melhor álbum, pelo proprio líder, Nergal) 

Em, Agosto de 2010 a banda cancelou todas as futuras apresentações, após o vocalista ser internado com uma doença, até então não divulgado. Ainda em Agosto foi revelado que Nergal estava com um tipo de leucemia. No mesmo ano, Nergal passou por uma cirurgia de medula óssea.
No fim de 2011, a banda declarou nova turnê, passando pelo Brasil.
No final de 2012, Nergal anunciou em entrevista, que um novo álbum seria lançado em outono do mesmo ano.
Assim, sendo o atual álbum The Satanist que foi lançado em 3 de fevereiro de 2014.

Fiquei muito triste, por não ter ido no show deles em São Paulo, mais terá a próxima vez.
E a banda reajustou seu estilo de Black Metal, para Death Metal e definitivo.

Foi comprido? hehe, sim foi, eu sei. Mais eu gosto falando sobre rock eu me empolgo e gosto de colocar tudo detalhado para ninguem se perder, ainda mais na historia dessa maravilhosa banda.

Abaixo, segue dois vídeos da banda, para quem não conhece e para quem conhece, apreciem ^^

 Esse vídeo é de seu ultimo álbum The Satanist


 Para mim essa musica, será sempre a mais adorada. *-*

Não podemos esquecer dos integrantes atuais:
Nergal - líder, vocal e guitarra
Inferno - bateria
Orion - Baixo
Seth - guitarra.

Bom, espero que tenham gostado do poste de hoje e até a próxima
:*

sexta-feira, 6 de março de 2015

Poeminhas ^^

E hoje mais um poema de Renato Dias




Carrego dia a dia
Naturalmente a vidinha
Sem viver nela.

Igual escrivaninha
Com as gavetas trancadas.




Até o próximo poste ....
:*

Curiosidade !!!!!! - De onde vem o livro?

Boa Tarde - gente !!!!!

Hoje o poste é sobre cultura, uhuuuulll \o/ ^-^

Creio que muitos já sabem, outros imaginam e outros nem sonham hehehe ....
Mais um pergunta interessante: DE ONDE VEM O LIVRO???
Hoje assistindo á Tv Cultura - mostrou um vídeo da pequena Kika com suas perguntas e achei bem interessante....


Achei interessante colocar em vídeo para melhor compreensão .....

Espero que gostem do poste de hoje .....
:*

quinta-feira, 5 de março de 2015

Poeminhas ^^

Bom dia pessoas animadas :)

Decidi colocar um poema por dia no blog, porém não são de minha autoria >.<
Hoje eu escolhi postar poemas do livro As Calhas do Chapéu de Renato Dias .... sim é literatura brasileira e para os amantes de poemas vão amar, assim como eu ....

Renato Dias, nasceu em 1945, na cidade de General Câmara-RS. Poeta, Ensaísta, Professor Universitários e Artista Plastico, tem poemas e artigos publicados em antologias, revistas, jornais e suplementos especializados em artes plasticas e literatura, no Rio Grande do Sul e outros estados. [...]

Pequena biografia sobre o autor.






Agora um poema desse escritor:




Habita meus ouvidos
Um oceano,
Desenrolando seus panos.

Coisas apressadas não faltam
O mundo não demonstra susto,
Até o sinal da cruz descansa.

Renato Dias  

quarta-feira, 4 de março de 2015

Literatura Estrangeira - Alma Katsu

Boa Tarde leitores e amantes da literatura ... A premiada de hoje é nada mais e nada menos que Alma Katsu, se você nunca ouviu falar nela ou pelo menos em algum de seus livros, em que planeta você vive (rsrsrs sim sou exagerada).

Chega de enrolação e aqui vou eu contar um pouco da história desses dois fantásticos livros.


Este é o primeiro livro: a história gira em torno de Lanore (Lanny), Jonathan e Adair. O livro começa com Lanny em um hospital toda manchada de sangue, porém nao machucada, pois ela acabara de matar Jonathan (seu verdadeiro amor) e nesse hospital ela conta á Luke o doutor tudo o que aconteceu com ela até ela chegar ali.
E então a história começa.
A história dela começa em 1809 quando ela ainda é humana, naquela época a "igreja" era o poder, porém ela já era obcecada por Jonathan seu verdadeiro amor, ela o queria tanto que acabou dormindo com ele e engravidou dele (porém, ele não a amava), mais para ninguém saber que ela estava gravida e que tinha envergonhado a família do pequeno vilarejo em St. Andrew seus pais á mandam para Boston, onde ela conhece Adair, Tilde, Alejandro, Donna e Urza (esses são os personagens do qual me lembro), porém todos eles moram juntos e como Adair possuía muita riqueza ela pensou que daria á luz com a ajuda deles e depois partiria.
Porém, não foi bem assim. Naquela época ela acabou contraindo uma doença e estava prestes á morrer quando Adair salvou á vida dela, dando-lhe o elixir da vida (imortalidade), porém ela tinha que ser submissa á ele.
Após, a transformação ela viu quem realmente eram todos e o que acontecia naquela pequena casa, ou melhor, na vida deles e o que aconteceu com ela. Adair no primeiro livro é o monstro, o cara é cruel mesmo e a tortura com atos sexuais (sim, estupro do pior jeito).
Adair se apaixona por ela, e ela finge ama-lo apenas para fugir, porém ele descobre sobre Jonathan e como diz o ditado: quando o demônio conhece o amor e descobre que é rejeitado, o pior é esperado.
[...] 
Ela transforma Jonathan em imortal novamente, porém ele ainda não a ama e sim a despreza mais ainda. 
[...]
No final Lanny consegue a liberdade que tanto quer.
[...]
Mais acaba envolvendo Luke nessa história toda, não ela não o transforma em imortal, porém pede sua ajuda para fugir de St. Andrew, pois o policiais estão á procura dela para saber o que realmente aconteceu para ela matar Jonathan.
[...]



O segundo livro me deixou de boca aberta. 
Para nao deixar ninguém confuso, quando Lanny chega a conhecer Luke, o medico - a história se passou em 200 anos.
Após, os 200 anos Adair retorna e começa a procurar por seus companheiros novamente e o primeiro a encontrar é Jude, porém Adair está completamente mudado do que fora a 200 anos antes.
O livro conta sobre as aventuras de Lanny e sua fuga constante para Adair não encontra-la e fazer com ela o pior de tudo, dar á punição que ela merece pelo que ela fez com ele.
O que posso dizer desse segundo é que o monstro foi rebaixado pelo amor, assumiu que realmente só seria feliz com Lanny por ele ama desesperadamente, mais não é correspondido.
Eu fiquei com dó dele, o amor dele por ela é tanto que ele reconheceu que ela não o amava e deixou-a partir para o homem que ela ama. Pois, como Jonathan está morto, restou Luke que a ama e vice-versa, Adair, do começo ao fim se mostrou o homem digno. 
[...]
Uma parte do livro Adair revive Jonathan para ele lhe dizer onde Lanny está, como encontra-la e o garoto enfrenta Adair, ele percebe que o homem ama desesperadamente Lanny e acaba dizendo á Adair como conquista-la como encontra-la... Mais nessa volta de Jonathan ele acaba falando sobre uma rainha do submundo. 
Mais acalmem-se, pois Adair manda Jonathan para o mundo dos mortos novamente.
[...] 
Só lendo o livro para vocês entenderem a transformação que esse homem teve, depois que conheceu o que realmente é amar.


Este é o 3º livro que eu estou ansiosa para seu lançamento aqui no Brasil.
E aqui tem a sinopse dessa belíssima história: Lanore McIlvrae fugiu de Adair por centenas de anos, preocupada por seus misteriosos poderes e com medo de seu temperamento. Ela traiu a confiança de Adair e o prendeu para salvar Jonathan, o amor de sua vida. Quando Adair libertou-se duzentos anos mais tarde, ela tinha certeza de que ele a encontraria e faria de sua existência um inferno. Mas tudo aconteceu de forma diferente do esperado.
Quatro anos mais tarde, Lanore rastreou Adair até sua mistica ilha, onde ele vive em um exílio autoimposto, para pedir um favor. Ela quer que Adair a envie para a Outra Vida para então tentar convencer a Rainha do Submundo à soltar Jonathan, que ela vem mantendo como consorte. Lanore honrará sua promessa à Adair de voltar? Ou sua intenção é ficar com Jonathan a qualquer custo?
Esta sinopse foi retirada de outro site.
E Aqui uma foto dessa belíssima escritora 
 Alma Katsu

Quando eu escrevo sobre livros, eu procuro não escrever a sinopse e sim o que relata o livro, não é resenha e sim a história do livro, não conto o final, senão não terá graça e o leitor perde o interesse em ler o livro e passar pela mesma experiencia delirante que eu tive quando li o livro >.<

Espero que tenham gostado do poste de hoje e até á próxima!!!!

:*

O Castelo de Lobo

             Boa tarde gente bonita .... Maratona de livros dessa semana , mas para não fazer uma postagem muito grande, vou divid...